ENFOC (CEAAL Brasil). Juventude rural participa de curso que destaca a arte como elemento estruturante da luta política

Com o objetivo de trabalhar a arte e a cultura como elemento estruturante da luta política, a CONTAG, através da parceria entre a Secretaria de Jovens e da Escola Nacional de Formação (ENFOC), realiza nos dias 11 a 15 de março o Curso de Teatro Político com a Cia Burlesca. O público é a Comissão Nacional de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (CNJTTR) e mais um(a) jovem por estado, ao todo mais de 50 jovens, sendo também um importante espaço de preparação para o 4º Festival Nacional da Juventude Rural.

“O objetivo é pensar a arte como elemento estruturante da luta política, porque é isso que a juventude quer, outra maneira de lutar sem perder os princípios e as ideias da classe trabalhadora e as ideias que são construídas dentro da CONTAG. Mas, que as metodologias precisam estar de acordo com os desejos dessa juventude”, destaca Lyvian Sena, da Cia Burlesca.

Além desse propósito, com esse aprendizado, o exercício prático da juventude que passa por essa formação é preparar as místicas e os diversos momentos para o 4º Festival Nacional da Juventude Rural, a ser realizado de 5 a 7 de maio de 2020, em Brasília. “Vamos construir juntos. Então, teremos um exercício prático desse entendimento da arte como elemento estruturante da luta”, explica Lyvian.

A secretária de Jovens da CONTAG, Mônica Bufon, participa da formação e tem grandes expectativas para os próximos dias. “Não tenho dúvidas de que será um grande momento. Está sendo a primeira experiência na CONTAG de trabalhar essa temática e nesse formato. Além de fazer a preparação para o Festival, esse curso também está sendo uma preparação para a vida de cada jovem, como jovem militante, de fortalecimento de cada um e cada uma.

Na abertura, o secretário de Formação e Organização Sindical da CONTAG, Carlos Augusto Santos Silva (Guto), também destacou a importância do curso. “A temática de agitação e propaganda, trabalhada pela Cia Burlesca, vem como um desafio muito grande para a maioria dos(as) participantes e para a CONTAG. Mas, a tarefa da ENFOC também é navegar por outros mares para buscar cada vez mais estratégias e instrumentos para combatermos os retrocessos”, disse o dirigente.